Renan chama ato de Bolsonaro no Rio de ‘molecagem’ e ‘procissão de louvor ao vírus’

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Relator da CPI da Covid criticou aglomeração provocada presidente no domingo. Bolsonaro cumprimentou apoiadores e estava sem máscara, descumprindo regra local para a contenção da pandemia

residente Jair Messias Bolsonaro e ex Ministro da saude Pazuello se juntou em ato organizado por motoqueiros e a concentracao e saida foi do Parque Olimpico na Barra da Tijuca zona oeste do Rio de Janeiro e o grupo fez grande barulho durante todo percurso e trajeto percorrido ,contrariando todo protocolo sanitario e com grande aglomeracao o qual , finalizou no Monumento dos Pracinhas no Aterro do Flamengo zona sul do Rio de Janeiro na tarde deste domingo (23/05). 23/05/2021 - Foto:  — Foto: Jorge Hely/Framephoto/Estadão Conteúdo
Foto: Jorge Hely/Framephoto/Estadão Conteúdo

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), chamou o ato promovido pelo presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro no domingo (23) de “procissão em louvor ao vírus” e “declaração de guerra ao SUS [Sistema Único de Saúde]” .

Bolsonaro comandou na cidade um passeio com motociclistas, que gerou aglomeração nas ruas. Sem máscara, Bolsonaro cumprimentou e tocou diversos apoiadores, que também estavam sem o aparato de proteção, infringindo norma local para conter o avanço da Covid-19.

“A prioridade é barrar a pandemia, mas Bolsonaro rema para trás. A procissão no Rio em louvor ao vírus é declaração de guerra ao SUS”, escreveu Renan Calheiros em um rede social.

O relator da CPI afirmou ainda que o governador do Rio, Cláudio Castro, terá de explicar a “molecagem com dinheiro público”.

O Rio destacou, por exemplo, centenas de policiais para atuarem na segurança da manifestação.

Eduardo Pazuello

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello também compareceu ao evento neste domingo. Sem máscara, o general do Exército subiu em um carro de som e, ao lado de Bolsonaro, fez um breve discurso.

A participação do ex-ministro se deu três dias após ele ter prestado depoimento à CPI da Covid. Aos senadores, Pazuello se disse favorável às medidas de distanciamento social e ao uso de máscara.

“Pazuello pisoteia disciplina e hierarquia e ri a céu aberto”, disse Renan Calheiros nesta segunda. “A CPI terá muito assunto”, adicionou.

A ida de Pazuello ao evento gerou polêmica, porque, pelas regras do Exército, militares da ativa não podem participar de atos políticos. O vice-presidente Hamilton Mourão, general da reserva, disse nesta segunda que Pazuello entende que errou ao ir à manifestação.

Fonte: G1 MT

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *