O deputado federal Mato Grosso:“O povo não admite o retorno de Lula”, diz Barbudo

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Primeiro ponto é que o povo não admite o retorno de Lula à Presidência da República. Segundo ponto é que ninguém quer que o país retorne aquele passado de corrupção e de imoralidade

barbudo-baneira.jpg
Foto: Reprodução

O deputado federal por Mato Grosso, Nelson Barbudo (PSL), taxou de “fracassadas” as manifestações da esquerda realizada no último fim de semana. Ainda, de acordo com o parlamentar, os protestos fracos mostram que a população não aceita a volta de Lula. 

“Primeiro ponto é que o povo não admite o retorno de Lula à Presidência da República. Segundo ponto é que ninguém quer que o país retorne aquele passado de corrupção e de imoralidade. Os protestos foram mornos e não mostram nenhuma força da esquerda”, avaliou Barbudo. 

O parlamentar também afirmou que o presidente Jair Bolsonaro segue firme e deve ser reeleito sem grandes dificuldades. “A gestão do presidente Jair Bolsonaro é bem avaliada pelo conjunto da sociedade. Portanto, vejo sua reeleição como um processo natural”, completou. 

Outro ponto avaliado e criticado pelo deputado federal foi a CPI da Covid. “Como tenho falado e repito: esta CPI no Senado está servindo de palanque para a esquerda tentar desmoralizar o presidente Bolsonaro. Até agora não encontraram nada que possa incriminá-lo. Diferente dos governantes do passado, Bolsonaro é honesto e ninguém pode acusá-lo de desviar um centavo do dinheiro público”. 

Ainda conforme Barbudo, a esquerda tenta montar um circo, porém o “espetáculo” é deprimente. Além disso, miram sempre no alvo errado. “Podem continuar investigando e não vão encontrar nada contra Bolsonaro, mas se as investigações avançarem pelos estados e municípios, aí sim vamos ver o nome de muita gente graúda aparecendo na imprensa”, finalizou

Fonte: Folha Max

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *