Financiamento para casa própria cresce mais de 100% em MT

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Dados são da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança

Foto: Chico Ferreira/Gazeta Digital (GD)

Financiamentos imobiliários com recursos da caderneta de poupança batem recorde em 2021. Com pagamentos a prazo foram contratadas aquisições e construções de 9.175 moradias em Mato Grosso, 106,5% a mais que no mesmo período de 2020, quando somaram 4.441, informa a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Pelas linhas de crédito do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) foram emprestados R$ 2 bilhões para financiamento habitacional em Mato Grosso este ano.

A quantia acumulada até julho é 71,4% superior àquela liberada no mesmo período do ano passado, quando totalizou R$ 1,2 bilhão, detalha a Abecip.

Para a linha de crédito habitacional atrelada à caderneta de poupança a Caixa Econômica Federal reduziu os juros em 0,4 ponto percentual na última quinta-feira, 16. A partir do dia 04 do mês que vem será possível fazer simulações com as novas condições. As contratações iniciam em 18 de outubro, informa a instituição bancária.

O corte dos juros foi aprovado para uma categoria específica de financiamento da casa própria, o crédito Poupança Caixa. Nesta modalidade, os juros cobrados são compostos por uma parcela fixa – definida pelo banco – e outra variável, que corresponde à remuneração da poupança. A instituição financeira ajustou a taxa fixa de juros de 3,35% ao ano (a.a.) para 2,95% a.a. Com isso, o crédito Poupança Caixa passa a ter uma taxa de 2,95% somada ao rendimento da poupança, que é variável.

Pela regra vigente, a poupança rende 70% da taxa básica de juros (Selic) enquanto esta estiver abaixo de 8,5% ao ano. Quando a Selic ultrapassa o patamar de 8,5% ao ano, a caderneta de poupança rende 0,5% ao mês acrescida da Taxa Referencial (TR). Atualmente a taxa Selic está fixada em 5,25%, com tendência de elevação. No atual patamar, a poupança rende 3,68% a cada 12 meses. Nesse período, uma aplicação de R$ 1.000,00 renderia R$ 36,80, por exemplo.

Na prática, o crédito ofertado pela modalidade Poupança Caixa terá correção de 6,62% a.a., considerando o valor da Selic no momento. Se a Selic subir, a parcela variável dos juros da linha de crédito Poupança Caixa acompanha.

Com a redução de juros, a Caixa apresenta as melhores condições de financiamento imobiliário do mercado, por meio da modalidade atrelada à caderneta de poupança, que dispõe também de maior prazo, até 35 anos para pagamento, bem como carência de 6 meses para início da parcela de juros e amortização, informa a instituição bancária, em comunicado à imprensa.

“Como os ciclos de financiamento são muito longos, normalmente entre 25 a 35 anos, pequenas variações da taxa de juros tem grande impacto no mercado imobiliário. Mantendose baixo, alavanca o mercado. Subindo, é inibidor de mercado. Um cenário de inflação fora de controle também é desfavorável”, afirma o gerente regional da Vanguard Empreendimentos, Márcio Ferreira.

Fonte: Gazeta Digital

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *