Mulher é morta a tiros por colega dentro do Ministério da Agricultura, em BH

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

A Polícia Civil ainda vai realizar pericia no local

Mulher é morta a tiros por colega dentro do Ministério da Agricultura, em BH
Foto: Divulgação

Um mulher, de 46 anos, foi morta com três tiros pelo colega de trabalho, um homem de 44 anos. O crime ocorreu na manhã desta quarta-feira (29) no Ministério da Agricultura, localizado no bairro Cidade Jardim, na região Sentro-sul de BH. Após cometer o crime, o homem teria fugido a pé. A polícia realiza buscas para encontrá-lo.

De acordo com informações preliminares da Polícia Militar, a vítima,  Maria Rita Pereira da Silva, era vigilante do turno da madrugada de uma prestadora de serviço do Ministério. Ela foi morta após uma discussão de trabalho pelo porteiro, também prestador de serviço do local, José Martins Dutra. O assassinato ocorreu no momento da troca de turno dos dois. 

Aina conforme a polícia, a mulher trabalhava armada. Após uma discussão, o porteiro tomou a arma da vigilante e a matou com três tiros em um cômodo que eles usavam como vestiário e cozinha. A polícia ainda informou que o homem apresentava problemas emocionais.

“Pessoas que trabalham no local nos informaram que o homem se sentia perseguido na empresa e não gostava de brincadeiras. A vítima não brincava com ele, os dois tinham problemas relacionados a convívio no trabalho, tanto que ela já havia pedido para que não precisasse trocar turno com ele”, detalhou o major que está à frente da ocorrência, Mauro Júnior.

Buscas pelo assassino

No momento, a Polícia Militar está em busca do porteiro, que fugiu sentido BH Shopping. O homem mora em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. 

“Esperamos buscar e prender o autor desse crime ainda hoje”, disse o major à frente do caso. 

Perícia 

A Polícia Civil ainda vai realizar pericia no local. 

Ministério da Agricultura lamenta ocorrido

Em nota, o Ministério da Agricultura informou que lamenta o ocorrido.

“O fato citado aconteceu com dois funcionários de uma empresa terceirizada que presta serviços de vigilância para a Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais. O Ministério da Agricultura lamenta o ocorrido”, pontuou a nota.

Fonte: O Tempo

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *