Marido que espancou mulher até a morte na frente da sogra e das filhas é condenado em Campo Verde

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Dias antes do crime, Bruna já teria se separado de Paulo André em razão de agressões físicas sofridas, porém, eles voltaram com o relacionamento em razão das filhas e de ele ter prometido mudar de comportamento

Bruna Francisca da Silva assassinada pelo marido em Campo Verde — Foto: Facebook/Reprodução
Bruna Francisca da Silva assassinada pelo marido em Campo Verde — Foto: Facebook/Reprodução

Paulo André de Oliveira foi condenado, na quinta-feira (7), a 32 anos e um mês de prisão por espancar até a morte a mulher dele, Bruna Francisca da Silva, de 23 anos, em julho de 2019 em Campo Verde (MT).

O crime foi cometido na frente da sogra dele, Abadia de Fátima da Silva, que foi agredida, e também na presença das duas filhas do casal.

O réu deverá cumprir a pena em regime inicialmente fechado, sem direito a apelar da sentença em liberdade.

Segundo o Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Bruna convivia maritalmente com o denunciado.

Dias antes do crime, Bruna já teria se separado de Paulo André em razão de agressões físicas sofridas, porém, eles voltaram com o relacionamento em razão das filhas e de ele ter prometido mudar de comportamento.

A mãe de Bruna, que morava em Rondonópolis, foi convidada pelo casal para ficar com as filhas enquanto eles iriam para uma festa em uma exposição agropecuária.

Paulo André de Oliveira foi preso depois do crime — Foto: PM-MT/ Divulgação
Paulo André de Oliveira foi preso depois do crime — Foto: PM-MT/ Divulgação

No dia da festa, o casal foi de táxi até o Parque de Exposições, enquanto Abadia ficou cuidando das netas. Na hora de voltar para casa, como não encontraram condução, Bruna resolveu ir a pé e Paulo ficou.

Ele então decidiu ir atrás da companheira, quando, no meio do caminho, avistou o mesmo táxi que os havia levado. No carro, ele foi atrás da companheira e, quando a avistou, supôs que ela estava lhe traindo com um terceiro indivíduo. Bruna entrou no carro, onde tiveram uma breve discussão e foram para casa.

Quando chegaram na residência, ele passou a agredi-la e ela gritou por socorro. A mãe levantou e foi verificar o que estava acontecendo, “ocasião em que se deparou com o denunciado xingando a ofendida Bruna de vagabunda e dando chutes e socos, enquanto ela estava caída no chão”.

Abadia tentou interferir, mas foi atingida pelo genro e trancada junto com as filhas do casal dentro de um quarto. O acusado arrastou a vítima para um barraco no fundo da casa e prosseguiu com as agressões por horas, até Bruna falecer.

Fonte: G1

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *