Massagista perfura pulmões de paciente com agulhas de acupuntura em Sorriso

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Jovem, de 26 anos, precisou passar por cirurgia de emergência

Foto: Arquivo pessoal

A busca para solucionar uma simples dor no pescoço acabou com a jovem Jessica Aldrey Germiniani, de 26 anos, indo parar em uma mesa cirúrgica. Isso porque, após uma sessão de acupuntura, feita por uma massagista, em Sorriso, a paciente teve o pulmão perfurado, e como consequência um hemotórax, que é um acúmulo de sangue entre o pulmão e a parede torácica. 

Na última segunda-feira (11), Jéssica precisou ser internada em um hospital particular de Sorriso para ser submetida a procedimento cirúrgico de emergência após sofrer com dificuldade respiratória e dor torácica. No momento, não há previsão de alta. Ao Portal Sorriso, ela informou que a massagista, cujo nome não foi revelado por questões jurídicas, cobrou R$ 80 pela sessão de massagem e não incluiu o valor da acupuntura.  

“Eu procurei uma massagista, pois estava com dores no pescoço, e a massagista insistiu em colocar umas agulhas de acupuntura nas minhas costas. Eu senti muita dor na hora, mas ela falou que faria parte do procedimento e me liberaria para ir para casa. No mesmo momento, senti dor e falta de ar. Cheguei em casa e tentei deitar, mas não conseguia, pois, a falta de ar ia aumentando”. 

O caso da Jéssica poderia ter se agravado ainda mais, sob risco de morte, caso ela não procurasse atendimento médico de imediato. Mas, ao ligar para uma fisioterapeuta, a jovem soube que o seu pulmão poderia ter sido perfurado. 

“Vim para o hospital, liguei para a massagista para perguntar quantos centímetros ela havia enfiado a agulha, mas ela falou que era coisa da minha cabeça e que eu poderia ir embora. Eu insisti, fiquei no hospital, esperei para ser atendida e fazer uma tomografia, e viram que o pulmão havia sido perfurado e já tinha sangue nele. Me operaram de emergência, e agora estou internada sem previsão de alta e com o dreno dentro do pulmão”, relatou. 

Jéssica frisa que o caso dela serve de exemplo para que as pessoas não façam procedimentos com quaisquer profissionais. “O médico falou que um dia a mais em casa teria sido fatal, sem conseguir reverter o quadro. Eu iria morrer em casa sem ninguém saber o que estava acontecendo”. 

Médico alerta 

Em entrevista ao Portal Sorriso, o médico Acupunturiatra André Luiz Zanchetta Penedo, que atua há mais de 20 anos na área, explicou que apesar de não existir uma lei federal prevendo que a acupuntura seja uma atividade privativa do médico, é importante que as pessoas procurem médicos que com título de especialista em acupuntura. 

“Apesar de a acupuntura não ser considerada cirúrgica, mas ela, por ser invasiva, requer certos cuidados. No caso da jovem, em que houve hemotórax, o quadro é reversível. Mas isso nunca aconteceu comigo, por exemplo, porque como especialista sei que para cada paciente há a profundidade da agulha e o ângulo correto”, explicou Penedo. 

Ao buscar por um médico especializado em acupuntura, os pacientes têm uma garantia de comprovação técnica e maior nível de qualidade do serviço. Até porque outras intercorrências podem ocorrer durante o procedimento, como ter uma artéria atingida, por exemplo. “Botar agulha é aparentemente fácil, mas é importante fechar o diagnóstico antes da acupuntura. Não tem nada a ver, por exemplo, tirar dor no pescoço com agulha nas costas”.  

Fonte: Portal Sorriso

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *