AL aprova projeto que prevê patrocínio na ordem de R$ 3,5 milhões a times das séries A e B

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Caso Mato Grosso não tenha times na elite, recurso será destinado às equipes nas séries C e D

Foto: Mauricio Barbant/ALMT

Com apenas um voto contrário, os deputados estaduais aprovaram em duas votações o projeto de Lei que vai destinar R$ 3.5 milhões ao Cuiabá Esporte Clube, que está disputando a série A do Campeonato Brasileiro de Futebol.

Intitulado Programa Mato Grosso Série A, a proposta enviada pelo governador Mauro Mendes (DEM) tem o objetivo de patrocinar as equipes do futebol profissional mato-grossense que disputem as séries A e B do Campeonato Brasileiro organizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O time que disputar a série A, no caso Cuiabá, receberá R$ 3.5 milhões. Já o time disputar a séria B, receberá R$ 1 milhão.   “Fica a SECEL (Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer) autorizada a firmar contrato de patrocínio, de forma direta, com as pessoas jurídicas representantes das equipes profissionais que estejam disputando as séries “A” e “B” do Campeonato Brasileiro, organizado pela CBF, nos valores de R$ 3.500.000,00 (três milhões e quinhentos mil reais) e R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), respectivamente”, diz trecho do projeto.

“O benefício estabelecido no caput deste artigo contemplará às equipes do futebol profissional mato-grossense que disputem as séries subsequentes do Campeonato Brasileiro organizado pela Confederação Brasileira de Futebol quando não houver equipes de futebol profissional mato-grossense que disputem as séries A ou B”, completa.

Segundo o Estado, o  objetivo é “difundir as potencialidades do Estado de Mato Grosso, por meio da imagem da entidade patrocinada, junto ao público e aos canais de mídia”.   O projeto ainda destaca que o objetivo é incentivar a maior profissionalização das equipes de futebol mato-grossene, além de oferecer melhores condições para o acesso às séries A e B do Campeonato Brasileiro de Futebol, organizado pela CBF.

“As despesas com o cumprimento desta lei correrão à conta do orçamento da SECEL, que poderá ser suplementado, em caso de comprovada necessidade”, finaliza o projeto. O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) foi o único que votou contra alegando que o governo Mauro Mendes quer usar o Cuiabá Esporte Clube como publicidade política.   

Fonte: Gazeta Digital

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *