Foto de cratera supostamente causada por meteorito em Sinop-MT é de dolina em Minas Gerais

O texto que acompanha as fotos nas redes sociais diz que a cratera havia sido formada por um meteorito que caiu no local e que o Exército Brasileiro já havia, inclusive, isolado a área para a chegada de pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Esp

Em 14/11/2017 09:27:00 na sessão Cidades

Foto: Reprodução

Fotos que circulam pelas redes sociais mostram uma suposta cratera que teria sido causada por um meteorito, no município de Sinop (477 quilômetros de Cuiabá), na última segunda-feira (13). Porém, o enorme buraco trata-se de uma dolina (espécie de erosão causada pela dissolução química de rochas calcárias abaixo da superfície) e foi registrado próximo a cidade de Coromandel, em Minas Gerais.
 
O texto que acompanha as fotos nas redes sociais diz que a cratera havia sido formada por um meteorito que caiu no local e que o Exército Brasileiro já havia, inclusive, isolado a área para a chegada de pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o que não foi confirmado por nenhuma das partes.
 
O enorme buraco, na verdade, trata-se de uma dolina, que são imensos buracos que aparecem do nada, principalmente no período chuvoso. Estas erosões, formadas pela dissolução química de rochas calcárias abaixo da superfície, geralmente possuem formato aproximadamente circular e são mais largas que profundas.
 
As dolinas ainda podem ser inundadas por lagoas ou secas e cheias de sedimentos, solo ou vegetação. Também é comum vê-las em cavernas, quando elas desmoronam e são chamadas de dolinas de colapso. Quando formadas sob o curso de um rio podem dar origem a um sumidouro.
 
Encontramos pelo menos duas reportagens sobre o fato, que aconteceu em Minas Gerais, na tarde de segunda-feira (13). O buraco teria surgido no dia 4 de novembro e foi descoberto pelos funcionários da propriedade, que realizavam o plantio de soja na área.
 
O buraco tem mais de 20 metros de diâmetro, o suficiente para engolir uma plantadeira. Pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) já foram até a Fazenda Santa Cruz e Conceição para coletar dados e avaliar as razões do acidente geológico.
 
Fake News
 
A disseminação de notícias falsas ou boatos, conhecidas como Fake News, tem crescido muito nos últimos tempos, principalmente com o advento das redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas. Elas consistem na distribuição deliberada de desinformação ou boatos via jornal impresso, televisão, rádio, ou ainda online, como nas mídias sociais.
 
A maioria é escrita muitas vezes com manchetes sensacionalistas, exageradas ou evidentemente falsas para chamar a atenção. O conteúdo intencionalmente enganoso e falso é diferente da sátira ou paródia. Muitas vezes, empregam manchetes atraentes ou inteiramente fabricadas para aumentar o número de leitores, compartilhamento e taxas de clique na Internet.
 
As notícias falsas também prejudicam a cobertura profissional da imprensa e torna mais difícil para os jornalistas cobrir notícias significativas. Alguns sites chegaram a, erroneamente, confirmar que o fato teria acontecido em Mato Grosso.

Meteoro ou meteorito

A mensagem que acompanhava as fotos nas redes sociais, também trazia uma informação incorreta e dizia que um meteoro havia caído na terra. Porém, caso fosse verdade, a denominação correta seria meteorito.

Meteoros são pedaços de rocha espaciais, em geral saídos de cometas ou asteroides, que entram na atmosfera da Terra. Muitos queimam pelo atrito e o calor da atmosfera. Os que sobrevivem e colidem com a superfície são chamados de meteoritos.

Confira AQUI e AQUI o link para as reportagens sobre o fato acontecido em Minas Gerais.

Fonte: Olhar Direto



Por Leidieli Lima 14/11/2017 09:27:00

Mais notícias da sessão: Cidades