Justiça decreta novamente a prisão de policiais em Canaã dos Carajás

Delegado acusado já cumpre a determinação no Centro de Recuperação Anastácio das Neves. Investigador de polícia está foragido.

Em 18/10/2018 10:27:00 na sessão Cidades

A Justiça de Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará, decretou a prisão preventiva do delegado e de um investigador do município, a pedido do Ministério Público do Pará (MPPA). O delegado acusado já cumpre a determinação da Justiça no Centro de Recuperação Anastácio das Neves, já o investigador está foragido.

A decisão saiu no dia 12, mas foi divulgada somente nesta quinta-feira (18) pelo Tribunal de Justiça. Esta é a segunda vez que os policiais têm a prisão decretada. Eles estavam soltos após o habeas corpus que determinou o cumprimento de medidas cautelares.

Segundo o TJPA, as prisões preventivas dos policiais foram decretadas para garantir a aplicação da lei penal. Uma testemunha da ação a que os policiais já respondem como réus estava sendo coagida e informou em depoimento ao MP que recebeu dos acusados a promessa de pagamento de R$ 10 mil para que mudasse seu testemunho inicial.

Associação criminosa

Em agosto de 2017, a Comarca de Canaã dos Carajás expediu mandados de prisão preventiva contra os dois policiais por uma suposta formação de associação criminosa para comercialização de bens apreendidos, incluindo motocicletas, e não registrados no sistema da Polícia Civil.

A investigação foi coordenada pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, e presidida pelos Promotores de Justiça de Canaã.

O suposto esquema criminoso caracterizava-se em vender bens alheios apreendidos, em geral motocicletas, que muitas vezes serviam para a realização de outros crimes. Os envolvidos são acusados também de não lavrarem autos de prisão em flagrante mediante pagamento do preso e há, ainda, indícios associação ao crime de tráfico de drogas.

Na mesma operação realizada em 2017, além das prisões, foram determinados afastamentos de outro investigador de polícia e foram realizadas buscas e apreensões nas residências dos investigados, incluindo a apreensão de seus telefones celulares.

Fonte: G1 Pará



Por Olhar Cidade 18/10/2018 10:27:00

Mais notícias da sessão: Cidades