Ex-secretário de Redenção, no PA, e empresária são presos em operação que investiga fraude milionária

Clainor Scalabrin, suspeito de se beneficiar do cargo para participar do esquema, e Kelley Machado se entregaram à Polícia e estavam foragidos desde outubro.

Em 06/12/2018 08:23:00 na sessão Cidades

Foram presos nesta quarta-feira (5), pela Operação Assírios da Polícia Civil, os empresários Kelley Borges de Araújo Machado e Clainor Scalabrin, ex-secretário de obras de Redenção no sudeste do Pará, após terem prisão decretada pela Justiça suspeitos de desviar recursos públicos.

Segundo as investigações, o ex-secretário de obras é suspeito de se beneficiar do cargo, participando ativamente do esquema que envolvia locação de veículos para prestadoras de serviço da prefeitura. Já Kelley é esposa do apontado como líder da associação criminosa. Os dois se entregaram à Polícia e estavam foragidos desde o dia 18 de outubro, quando iniciou a segunda fase da operação.

A defesa de Clainor disse que ele não vai se manifestar sobre o caso. A reportagem ainda tenta contato com a defesa de Kelley Machado.

De acordo com a Polícia, a investigação apurou fraudes ocorridas em sete contratos administrativos entre 2013 e 2015 que ultrapassam R$15 milhões.

O delegado Carlos Vieira explicou que o esquema montava procedimentos licitatórios com consentimento do secretário de obras e dos empresários e demais servidores, para beneficar empresas. "As propostas vantajosas apenas para os criminosos, em detrimento da administração pública, e com valores com sobrepreço, venciam as licitações, passando a desviar recursos sem executar o contrato, total ou mesmo parcial, ou ainda com superfaturamento", afirmou.

Operação Assírios

A primeira fase da operação Assírios foi deflagrada no dia 13 de setembro e cumpriu 24 mandados judiciais de busca e apreensão e de prisão em Redenção, Rio Maria e Tailândia. Durante a operação, foram apreendidas documentações na prefeitura e nas sedes das secretarias, empresas e residências. Foram presos os empresários Carlos Henrique Machado, Luiz Henrique Pereira Machado, José Luiz Noletto Soares e os agentes públicos Sivaldo Alves dr Souza e Valdeon Alves Chaves. A Justiça determinou bloqueio de R$ 21 milhões do patrimônio dos indiciados.

Na segunda etapa, iniciada em outubro, foram presos Erlan Silva Cassimiro, Heloiza Helena Machado, Patrícia de Sousa Gonçalves e Alessandro Dantas de Araújo. As prisões ocorreram em Rio Maria, Redenção e Parauapebas, no Pará; e em Uberlândia, em Minas Gerais. Em seguida, foi preso o advogado e ex-procurador geral de Redenção, Sérgio Santana.

Todos os investigados foram levados para o presídio do Centro de Recuperação Regional de Redenção.

Fonte: G1 Pará.



Por olharcidade3@gmail.com 06/12/2018 08:23:00

Mais notícias da sessão: Cidades