Avião que caiu e matou pai e filho em Guarantã do Norte tinha autorização para voar apenas de dia, diz Anac

Cenipa começou a analisar os destroços de avião que caiu em Guarantã do Norte. Empresário não enxergava pista e pediu iluminação, segundo o irmão dele.

Em 20/09/2019 08:39:00 na sessão Cidades

Foto: Arquivo pessoal

O avião que caiu e matou pai e filho, nessa segunda-feira (16) em Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá, tinha autorização para voar apenas de dia, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A aeronave pegou fogo ao bater no solo.

O acidente ocorreu no início da noite e matou o empresário Jair José Demski, de 61 anos, e o filho dele, João Anderson Demski, de 29 anos.

Jair Demski era empresário e dono de uma empresa de engenharia, indústria e comércio no norte de Mato Grosso. O filho dele era engenheiro e trabalhava com o pai.

Os corpos de pai e filho estavam fora do avião e foram parcialmente carbonizados. Um morador flagrou o momento em que o avião perdeu altitude e caiu. Jair, que pilotava a aeronave, não enxergava a pista e pediu que a cabeceira do local fosse iluminada.

 

Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa) já começou a inspecionar os destroços do avião.

A aeronave teria caído de bico quando Jair tentava pousar. O avião era seminovo, foi fabricado em 2016, estava regular para funcionamento. Jair também era habilitado.

Um dos detalhes que será investigado é que segundo a Anac a aeronave era autorizada a voar apenas de dia e a queda foi no período da noite.

Foto mostra poltrona arrancada na queda e explosão de avião em Guarantã do Norte: pai e filho morreram -- Foto: Edevaldo Souza Kruger/Corpo de Bombeiros

O acidente

Depois de sair de Sinop, a 503 km de Cuiabá, a aeronave monomotor, modelo RV 10, caiu a cerca de dois quilômetros da pista de pouso, que era em um aeródromo de Guarantã do Norte.

Pai e filho foram arremessados do avião durante a queda e morreram na hora. A aeronave explodiu e pegou fogo ao bater no solo. Os corpos foram encontrados parcialmente carbonizados.

Destroços da queda de avião em que pai e filho estavam e morreram em Guarantã do Norte -- Foto: Edevaldo Souza Kruger/Corpo de Bombeiros

O irmão de Jair contou à polícia que a aeronave decolou de Sinop, a 503 km de Cuiabá, às 17h25, junto com outra aeronave, ambas de propriedade de Jair. A outra aeronave posou no local correto. Ele foi até Sinop para participar de um encontro na igreja.

O empresário pediu que a pista da cabeceira fosse iluminada pois não estava conseguindo visualizá-la.

O irmão ainda relatou que, em contato por telefone com a vítima, não houve queixa de pane ou defeito na aeronave.


Fonte: G1 MT



Por olharcidade2@gmail.com 20/09/2019 08:39:00

Mais notícias da sessão: Cidades