Cuiabano cria concurso que elege o melhor pênis do Brasil e vira um dos assuntos mais comentados do Twitter

Já foram realizadas várias edições da premiação como, por exemplo, o Pinto Awards de Verão e o Inter Pinto Awards, uma disputa entre os homens de vários estados

Em 21/09/2019 08:03:00 na sessão Cidades

Foi em 2016 que o cuiabano, que será identificado apenas como Ricardo, 27 anos, começou a receber nudes (fotos íntimas), através do Snapchat e criou um concurso para eleger o pênis mais bonito. Na época, nem imaginava que iria se tornar um dos assuntos mais comentados do mundo no Twitter, como aconteceu na noite da última quinta-feira (19), quando a hashtag #PintoAwards atingiu 103 mil menções. Hoje o perfil oficial do concurso conta com 151,6 mil seguidores.

Em entrevista ao Olhar Conceito, o estudante disse que em 2016 acontecia uma "febre" de envio de nudes pelo Snapchat. Na primeira edição, ele apenas divulgava as categorias com nome dos concorrentes. Não havia avaliação com fotos abertas para o público como acontece atualmente. "A partir daí o pessoal gostou da idéia, então, fiz a segunda edição, dessa vez mostrando as fotos recebidas. Foi a primeira vez que o evento entrou nos trending topics", disse.

"Logo após, pensei em migrar para uma conta própria para o evento, que deu muito certo. Ao longo dos anos já perdi a conta de quantas edições tiveram, cada uma com sua temática", acrescenta.

Já foram realizadas várias edições da premiação como, por exemplo, o Pinto Awards de Verão e o Inter Pinto Awards, uma disputa entre os homens de vários estados. "Mas acredito que o marco mesmo foi a edição de janeiro desse ano, onde o evento teria sua ultima edição e após muitos pedidos, voltei. Na edição deste ano, recebi entre 340 e 360 fotos, batendo o recorde das edições anteriores, que não passava de 200 inscritos", conta.

Por conta da demanda, ele contou com a ajuda de alguns amigos na pré-seleção, que ocorreu dois dias antes do evento. Ao todo, foram seis pessoas de forma presencial e outros dois por videochamada, que faziam as escolhas. "A gente ia passando as imagens e o pessoal ia levantando a plaquinha: azul para sim e vermelha para não".

A primeira parte do concurso ocorreu na noite de quinta-feira (19). O criador conta que as categorias que mais chamaram a atenção foram as de "Melhor Pinto Antifascista", "Melhor Pinto Fofo" e "Melhor Pinto Com Heróis e Vilões". "Tivemos a presença de um pinto tocando piano também, que caiu no gosto da galera".

Para se destacar em meio a tantas fotos, o cuiabano diz que o ângulo e iluminação contam. Porém pontua que o candidato tem que apostar na criatividade, como foi o caso de um pênis fantasiado de homem aranha e de um pianista.

O sucesso foi tanto que contou com a participação de candidatos da Itália e Portugal. "Antecedendo a edição atual, lançamos no mês passado um documentário de 7 minutos no youtube, que já foi visualizado 70 mil vezes e conta um pouco sobre a história do evento, que se situa em Cuiabá. Acredito que por essa visibilidade, o número de inscritos cuiabanos superou todas as edições, tanto é que tivemos uma categoria exclusiva para eles".

O evento virtual contou também com a presença da Bianca Dellafancy, uma drag queen e youtuber conhecida em todo o Brasil. A hashtag chegou ao 3º lugar dos trending topics Brasil às 12 horas, sete horas antes do evento começar. Em quatro horas de evento, o #PintoAwards ganhou mais de 60 mil seguidores, chegando ao topo dos trending topics mundial, com 103 mil tweets.

O engajamento chamou atenção de algumas empresas que irão fazer merchandising, como o aplicativo de relacionamento gay Scruff e a startup Rappi. Contudo, até o momento, o concurso ainda não trouxe retorno financeiro ao criador.

"Busquei patrocínio com diversas marcas de preservativos, lojas de sex shop, inclusive cuiabanas, mas não obtive respostas". Ele afirma que busca trazer entretenimento para a rede social que faz parte desde 2010, além de mostrar o seu trabalho com produção de evento, seja na organização, no design ou engajamento.

Apesar do sucesso, Ricardo lamenta que os usuários dediquem a maior parte dos votos para os concorrentes com pênis maior. "Tem muita foto boa, bem produzida, que acaba perdendo para outras, pela questão do tamanho".

"Não posso deixar de citar algumas coisas que me incomodam muito no evento, e que acredito que reflete muito o comportamento que buscamos resignificar: a obsessão por pênis de tamanhos avantajados, a fixação por corpos padronizados e pênis em sua grande maioria brancos", lamenta.

"Recebemos muitas criticas de homens de masculinidade frágil, que agora sabem como é ter o corpo sexualizado. Finalizo dizendo o que seria o Pinto Awards ideal pra mim: Um evento onde a qualidade da foto tivesse mais relevância que o tamanho do pênis. Um evento onde as mulheres pudessem comentar, sem serem invadidas por fotos indesejadas em suas mensagens diretas. Um evento onde as pessoas pudessem aceitar que existem vários tipos de corpos, vários tipos de gostos", finaliza.

Fonte: Olhar Conceito



Por olharcidade2@gmail.com 21/09/2019 08:03:00

Mais notícias da sessão: Cidades