Professora de Barra do Garças pede ajuda para ir a Espanha onde irmã foi assassinada

A polícia espanhola informou que a tocantinense foi morta a facadas e o corpo encontrado dentro de uma mala em um armário, na segunda-feira (4).

Em 08/11/2019 10:38:00 na sessão Cidades

A família da cozinheira e estudante de gastronomia, Minaene Franco, de 36 anos, está tentando conseguir um apoio do Governo Federal para trazer o corpo da brasileira que foi assassinada pelo filho de 16 anos, que está preso na Espanha.

O crime aconteceu no dia 2/11 e chocou todo mundo principalmente a família Franco que reside na sua maioria em Tocantins. Em Barra do Garças, no Mato Grosso, mora a professora Laís Franco, que como irmã busca ajuda neste momento difícil. Laís está em Brasília para embarcar para Espanha.

A família pediu apoio do Itamaraty para trazer o corpo de Minaene cujo translado fica em torno de R$ 50 mil ou pelo menos levar alguns dos parentes para acompanhar o enterro da brasileira lá mesmo na Espanha. A professora gravou um vídeo pedindo apoio dos amigos e da população brasileira. 

 "Nós sabemos sobre o crime o que já foi divulgado na imprensa. Estivemos aqui no Itamaraty com objetivo de conseguir apoio mas está difícil. Existe um tramite que demora e por isso estamos pedindo doações para trazer o corpo ou quem sabe acompanhar o enterro dela lá", explicou Laís.

Minaene moaravana cidade de Foz na província de Lugo na região autônoma da Galiza. Ela foi assassinada pelo filho, um adolescente de 16 anos, que está detido. A família já percebeu que está difícil para trazer o corpo de Minaene mesmo com alguns espanhóis querendo ajudar o custo de translado é muito alto.

A polícia espanhola informou que a tocantinense foi morta a facadas e o corpo encontrado dentro de uma mala em um armário, na segunda-feira (4).

"Na segunda, ele [o filho] foi buscar atendimento porque estava com um ferimento na mão, mas levou o cartão errado [era o cartão da mãe] para o atendimento. Aí desconfiaram e chamaram a polícia", contou a irmã.

Os vizinhos também teriam desconfiado do desaparecimento de Minaene Franco. Durante buscas na casa deles, a polícia encontrou o corpo da mulher. "A polícia voltou para o hospital e ele disse que matou por legítima defesa."


Ainda conforme a irmã, Minaene Franco tinha reclamado que o filho estava se comportando mal, mas não havia motivos para que o crime acontecesse. "Ela pagava uma escola cara e ele não queria estudar. Falou que andava muito ignorante com ela e suspeitava que ele estava usando drogas".

"O corpo está na perícia criminal e eles não liberam se não tiver alguém da família para identificar. Se não for ninguém identificar ela vai ser enterrada como indigente", contou a irmã.

Quem quiser colaborar com a professora Laís pode depositar qualquer valor na conta/poupança de Laís Aneiane Francoagência 1308operação: 013conta corrente: 00062934-0CPF: 04350721100    

Fonte: Araguaia Notícia



Por Olhar Cidade 08/11/2019 10:38:00

Mais notícias da sessão: Cidades